segunda-feira, 15 de fevereiro de 2016

Pausa para reflexão


Acho que a vida é assim mesmo.

Nunca vi frase mais estúpida do que esta. Como se a vida fosse uma força maior que te oprime e te obriga a seguir determinado caminho. Um cabresto. Uma venda. Uma guilhotina.

Sempre achei que a vida fosse uma condição de seres vivos. Não no sentido de escolha (embora também cabível), mas no sentido de característica inerente. Um morto não possui vida. Não possui escolhas. Fim, simples assim.

Desta forma, se a vida é algo que existe por default enquanto se está vivo e é algo sujeito às escolhas de quem a vive, me pergunto porque tantas pessoas a vêem como essa barreira intransponível.

Toda barreira pode ser transposta se vista como oportunidade, não obstáculo. E se houver vontade, é claro. Quem quer de verdade é quem acredita e persevera. Imagine onde estaríamos se todas as pessoas brilhantes do mundo tivessem desistido assim que algo ruim aconteceu. Na idade da Pedra ou extintos. Provavelmente extintos.

A vida só é assim mesmo se queremos que ela seja assim. Conformismo e comodismo são sinônimos de uma mente medíocre, fadada à mera sobrevivência e não à total vivência. Fadada à manutenção do status quo, ao embrutecimento, à dessensibilização, à massificação, à manipulação, à robotização. Porquê cada vez mais queremos ser máquinas e cada vez menos sermos humanos?

Existem infinitas possibilidades para sua vida, nesse exato instante. Qual caminho você vai seguir só depende de você.

Marque sua passagem por aqui!