quarta-feira, 3 de junho de 2015

Leitura de Abril e Maio

Com a correria louca em que eu estava, não consegui passar aqui antes para falar sobre a leitura dos meses de abril e maio! Mas agora, finalmente, aqui está! Espero que gostem!

Comecei abril lendo mais um livro de John Green, como disse que ia fazer anteriormente. Desta vez, escolhi "Cidades de Papel", livro que inclusive já tem adapatação para o cinema com data de estréia prevista pra 9 de julho! - não vou passar o trailer porque é 99% spoilers, pra variar..


Apesar da história também envolver adolescentes, senti a trama mais madura e profunda do que a de "O Teorema Katherine". Nela, temos como personagens principais os estudantes Quentin, um adolescente comum norte-americano, e Margo, sua vizinha misteriosa. Depois de um noite de aventuras pela cidade juntos, Margo desaparece, o que coloca Quentin em uma jornada para encontrá-la, com a ajuda de seus amigos de escola.

O que mais me marcou no livro foram as reflexões acerca da falsidade das pessoas, da valorização das aparências e da manutenção do status quo em detrimento das diferenças e das capacidades intelectuais das pessoas, e no fato do quanto nos preocupamos com o futuro sem viver o presente de corpo e alma.

Até o momento, meu livro preferido de John Green - um tapa na cara da sociedade, porém com luva de pelica, nos desafiando para sermos agentes de mudança ao invés de meros seres inertes que não sabem a diferença entre viver e sobreviver.

Falando em sobrevivência, li em seguida os dois últimos livros da trilogia de Hugh Howey iniciada com "Silo" - falei dele aqui, se lembram?

     

O que dizer?! São muito, muito bons!!! Uma de minhas trilogias favoritas, sem sombra de dúvida!

Embora muitos mistérios sejam desvendados em "Ordem", Howey foi super inteligente em deixar alguns pontos para serem abordados no próximo volume. Além disso, os novos personagens são muito interessantes e marcantes; temos também uma nova leva de eventos de tirar o fôlego!

É interessante notar que, ao contrário do que muitas vezes ocorre com livros "do meio" em trilogias, "Ordem" não é de forma alguma um livro de conexão, passagem ou mero desenvolvimento dos personagens e da trama. Ele é um livro que consegue despertar emoções extremamente fortes nos leitores, possuindo um dinamismo incrível que os instiga a continuar lendo sem parar.

Não é a toa que eu não consegui esperar ano que vem para saber o desfecho dessa trilogia tão interessante: acabei comprando o ebook mesmo e lendo em inglês! hehehe Mas definitivamente o último volume impresso já tem um lugar reservado na minha estante! ;)

Este último livro ("Dust", sem tradução ainda para o português) conclui com maestria a trilogia de Howey. Também é um livro sofrido, com muita ação e reviravoltas. E ao fim, fica aquele sentimento de missão cumprida junto com um gostinho de quero mais... Simplesmente de tirar o chapéu!

E vocês? O que andam lendo por aí? Comentem! :)

Marque sua passagem por aqui!